NUNCA MAIS TERÁ SEDE?

Postado em 27/08/2012

Tags:

NUNCA MAIS TERÁ SEDE?

 “Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” João 4.13-14

 

Esses dias fiquei sabendo sobre um incidente que aconteceu em uma obra. Durante a execução de uma determinada atividade, um tubo de água da Sabesp foi quebrado. Só que o mesmo estava enterrado e o vazamento só foi descoberto um mês depois, quando os moradores da rua entraram com uma reclamação contra a empresa responsável.

 

Ao verificar o corrido, descobriu-se que aquele pequeno tubo de água, que ficou vazando por aproximadamente um mês, provocou um deslocamento de parte do subsolo daquela rua, fazendo com que as paredes de algumas casas rachassem ao ponto de serem interditadas pela defesa civil. Por incrível que pareça, esse pequeno vazamento de água, causará um prejuízo de aproximadamente um milhão de reais.

 

Jesus, ao se encontrar com a mulher samaritana, lhe disse que aqueles que bebessem da água que Ele lhes desse, passariam a viver com uma fonte de água a jorrar dentro de si. Mas o que Ele quis dizer com isso? Quando Jesus fala da água que mata a sede, está se referindo não à substância H2O, mas à Sua palavra, seus ensinamentos, seus princípios, seus valores, a tudo o que Ele ensinou no tempo em que esteve na terra. Aqueles que bebem dessa fonte de conhecimento e amor, jamais terão sede novamente. Essa água é tão preciosa, que não há como deixar de bebê-la!

 

Tenho me perguntado, a cada dia que passa, se essa verdade está presente em minha vida e na vida dos cristãos com quem convivo. Todos os dias vejo pessoas ansiosas, preocupadas com o dia de amanhã, com o dinheiro, com o emprego, com a saúde, com o namorado/a, com os filhos, com uma porção de coisas que, segundo a nossa fonte de água viva também conhecida como Bíblia, não deveriam estar no centro das suas atenções.

 

Se um pequeno tubo de água quebrado foi capaz de mover o subsolo de algumas casas, ao ponto de abalar profundamente as suas estruturas, me pergunto o que tem ocorrido para que tantos crentes, que entregaram suas vidas ao Senhor, não estejam nem úmidos com a fonte de águas que Cristo lhes oferece... Para encontrar uma resposta, posso usar a mesma imagem que Jesus usou: a água. Muitos homens e mulheres estão impermeáveis a Sua Palavra e Seus ensinamentos.

 

Impermeável é a qualidade de não ser permeável, ou seja, de não ser penetrável, de não absorver, não se misturar. Desta forma, creio que muitos têm ouvido falar dessa fonte, mas estão ocupados demais com as coisas dessa vida, para pararem e absorverem essa preciosa água que sacia a nossa sede.

 

Jesus não mentiu quando disse que jamais teriam sede aqueles que bebessem dos Seus ensinamentos e princípios. A falha não está na fonte e sim naqueles que a recebem.

 

Gostaria de lhe convidar a avaliar a sua vida e refletir como essa fonte de água viva tem influenciado o seu cotidiano, não só na sua caminhada na igreja, mas o dia a dia com sua família e amigos. Existe em você uma fonte que leva saciedade às pessoas ao seu redor? Você é um proclamador de esperança a todos que te cercam, mesmo sem usar palavras? Você vive em paz e sem ansiedade em toda e qualquer situação, sabendo que sua vida está completamente segura nas mãos de Deus? Se alguma das suas respostas foi não, possivelmente, existem áreas na sua vida que estão impermeáveis à Palavra de Deus.

 

Mas existe uma solução que é simples e de fácil acesso. Confesse a sua limitação ao Senhor, clame a Ele que derrame dessa água viva sobre você e se esforce por conhecer mais da Sua vontade lendo a Bíblia e convivendo com pessoas que estão cheias dessa água.  É simples, fácil e extremamente eficaz. Muito mais do que possamos imaginar, Deus deseja nos encher com a água viva. Só precisamos verdadeiramente crer que Ele é a nossa fonte e nos abrir para receber a Sua preciosa palavra.

 

Que assim seja sobre as nossas vidas!

 

Pr. Mauro

  



« Voltar